Busca  
  Prática Esportiva   
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.  

Futebol-arte candidato a futebol profissional


Há sete anos uma iniciativa brasileira busca incrementar, nos bastidores, o espetáculo que se vê nos campos. A Universidade Aberta do Futebol Brasileiro, uma plataforma virtual, foi buscar inspiração na inglesa Open Universtiy para fomentar a profissionalização do esporte no país.

Criada para integrar a comunidade do futebol, a Universidade oferece rico material virtual de pesquisa que visa a capacitar tanto profissionais que já atuam no mercado de trabalho quanto os que desejam entrar para o restrito nicho.
 
Segundo levantamento da Universidade, atualmente o esporte tem espaço para quase 50 profissões ligadas ao futebol, divididas em cinco grandes áreas do conhecimento: Aplicação e Estudos Técnicos Aplicados, Ciências Humanas e Sociais, Administração e Comunicação, Saúde e Interdisciplinaridade. Um corpo de profissionais que altamente capacitados pode contribuir para um futebol cada vez mais qualificado e profissional.

João Paulo Medina e Pelé em bate-papo sobre treinamento no futebol
A oportunidade de mercado foi constatada por João Paulo Medina, preparador técnico de diversos clubes brasileiros e do exterior e idealizador do projeto. O esporte vivia momentos de glória com o pentacampeonato, em 2002, conquistado pela seleção de Luiz Felipe Scolari, quando Medina, que teve a oportunidade de conhecer mais de perto o modelo inglês de Universidade Aberta (referência no mundo), colocou em prática um antigo desejo pessoal. Nascia assim, mais precisamente em 2003, a Cidade do Futebol, como era chamada a Universidade no espaço virtual. Só depois ela ganharia status de Universidade.

“A plataforma foi crescendo e conquistando aos poucos a confiança e o respeito dos internautas, assim como de importantes formadores de opinião da comunidade do futebol”, afirma Medina, colunista especial e um dos entusiastas da Universidade.

Logo da Universidade Aberta do Futebol Brasileiro

Embora a proposta seja ousada, ela ainda não conseguiu sair do papel, ou melhor, do espectro virtual. “Nossa intenção era criar um campus físico antes da Copa de 2010, mas ainda não foi possível”, afirma o idealizador do projeto. Seu quadro administrativo ainda é amador: apenas cinco pessoas atuam profissionalmente pela Universidade. Mas não faltam colaboradores (cerca de 50) para fazer a iniciativa caminhar.

O que de mais rico o site oferece é seu acervo eletrônico. Na biblioteca virtual é possível encontrar mais de 2 mil títulos sobre o futebol (não estão disponíveis livros para baixar), 3 mil artigos de especialistas e um expressivo acervo com a produção acadêmica sobreo esporte de grupos de estudos espalhados pelas instituições de ensino do país(cerca de 20). “Queremos que cada um construa a sua teia do conhecimento”, explica Medina.










Próxima