Busca  
 
MURO DAS LAMENTAÇÕES
Muro das Lamentações, em Jerusalém: ruína do antigo Templo e lugar sagrado para os judeus.

Muralha localizada em Jerusalém (Israel). É considerado um lugar sagrado pelos judeus do mundo inteiro. Nos tempos bíblicos formava o muro ocidental do pátio do Templo Sagrado de Jerusalém. Tem cerca de 50 m de extensão e 10 m de altura. Os arqueólogos descobriram que 19 fileiras de pedras se prolongam por cerca de 5 m abaixo do solo. A parte inferior do muro é formada por pedras que datam da época de Herodes (20 a.C.). No início do séc. VIII d.C., os árabes permitiram que os judeus se reunissem junto ao Muro nas noites de Shabbath (do anoitecer de sexta-feira ao anoitecer de sábado) e antes dos dias de festa. Em cerimônias junto ao Muro, os judeus recordavam seus sofrimentos e lamentavam a dispersão de seu povo, chorando sobre as ruínas do templo. Daí o nome, Muro das Lamentações.

O costume de orar junto ao Muro manteve-se durante o decorrer dos séculos. Os judeus continuaram a visitar o local depois que os ingleses se apossaram de Jerusalém, durante a Primeira Guerra Mundial. Em 1948, a Jordânia tomou a parte de Jerusalém onde estava situado o Muro e proibiu os judeus do novo Estado de Israel de usá-lo. O acesso ao local só foi liberado quando Israel conquistou a parte de Jerusalém ocupada pela Jordânia durante a Guerra Árabe-Israelense de junho de 1967. O Muro das Lamentações converteu-se em um lugar de júbilo nacional e de culto religioso. Colocar bilhetes com pedidos variados nas fendas do Muro tornou-se uma espécie de tradição popular.