De que é feito o diamante e quais suas aplicações?
O diamante é um material cristalino e duro formado por carbono, C. Juntamente com a grafite, o carvão mineral e os fulerenos, o diamante é uma das formas alotrópicas do carbono. Alotropia é um fenômeno que ocorre em algumas substâncias químicas simples, como o enxofre e o carbono. Os alótropos de uma substância apresentam a mesma composição química, isto é, são formados pelo mesmo elemento, porém diferem quanto à estrutura química das moléculas. Essa variação é responsável por diferenças nas propriedades químicas e físicas dos alótropos. Para se ter uma ideia, grafite e diamante são alótropos. O material mais duro existente é o diamante, capaz de riscar todos os outros materiais conhecidos. Daí vem a expressão: “os diamantes são eternos”. Já a grafite apresenta baixíssima dureza, podendo ser riscada facilmente. Assim, apesar das diferenças brutais nas propriedades, como brilho e dureza, ambos são formados unicamente por átomos de carbono. A razão da diferença é a estrutura molecular, isto é, a maneira como os átomos de carbono estão ligados entre si na grafite e no diamante. No diamante, os átomos de C estão ligados covalentemente numa estrutura tridimensional. Na grafite, os átomos de C estão ligados covalentemente, formando planos. O que mantém os planos unidos são interações intermoleculares mais fracas do que uma ligação química. Por este motivo, os planos de átomos de C na grafite podem se movimentar mediante a aplicação de pressão, fazendo da grafite um material muito mais mole do que o diamante. A principal fonte de diamante é o subsolo, de onde é extraído na forma de minério, dito diamante natural. Sua formação é resultado de pressões e temperaturas extremas a que o carvão mineral é submetido no subsolo. A principal utilização do diamante é na produção de joias e instrumentos de corte especiais (para cortar rochas, vidros e materiais duros) e em aplicações tecnológicas. O principal produtor mundial de diamantes é a África do Sul. Já existem processos artificiais capazes de produzir diamantes a partir de carvão. Porém, os diamantes artificiais são de tamanho reduzido, servindo apenas para aplicações que requerem pequenos cristais.