O que foram as Bandeiras?
As Bandeiras eram expedições particulares de exploração do território brasileiro que não tinham o apoio das autoridades portuguesas. Os bandeirantes avançavam em grupos por terras desconhecidas e atravessavam vales, rios e montes, percorrendo, algumas vezes, até 2 mil quilômetros. Partindo de São Paulo, os bandeirantes percorreram diversos caminhos em busca de ouro, pedras preciosas e índios. A primeira Bandeira saiu da vila de São Paulo de Piratininga em 1602. Era formada por índios, mestiços e 300 brancos. Após 2 anos de viagem, chegou até o Paraguai e a Bolívia. O chefe da expedição era geralmente um branco, conhecedor do sertão e responsável pelo financiamento da viagem e pela formação do grupo. Os índios serviam de guias, caçadores e cozinheiros. Muitas expedições bandeirantes partiam com o único objetivo de capturar e escravizar índios. Os bandeirantes atacavam de surpresa as aldeias, queimavam as ocas, matavam mulheres e crianças e partiam com os índios amarrados e acorrentados para São Paulo, onde eram vendidos. Raposo Tavares organizou diversas Bandeiras entre 1628 e 1651. Na última marcha, de 1648 a 1651, percorreu 10 mil quilômetros, explorando a Floresta Amazônica. Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhangüera, marchou pelo sertão goiano em 1676 em busca de ouro. Fernão Dias Paes percorreu o sertão a partir de 1674. Após 7 anos, encontrou pedras verdes brilhantes que pensou serem valiosas esmeraldas. Eram na verdade turmalinas, bem menos valiosas. Centenas de povoados surgiram ao longo dos caminhos percorridos pelos bandeirantes, dando origem às cidades brasileiras.